Questões simuladas da ANAC sobre pressão atmosférica

1. O peso que a atmosfera exerce sobre a superfície terrestre é denominado de:

a) fator atmosférico
b) vetor atmosférico
c) pressão atmosférica
d) nenhuma das anteriores

2. A pressão atmosférica é medida por:

a) termômetro
b) barômetro
c) hidrômetro
d) anemômetro

3. 1hPa equivale a cerca de:

a) 40 pés
b) 30 pés
c) 100 pés
d) 10 pés

4. Assinale a alternativa correta:

a) com o aumento da altitude ocorre o aumento da pressão atmosférica
b) com o aumento da altitude ocorre a diminuição da pressão atmosférica
c) a pressão atmosférica não varia com a altitude
d) a pressão atmosférica diminui com a diminuição da altitude

5. No Brasil, nas mensagens meteorológicas e nas comunicações de tráfego aéreo a pressão atmosférica é sempre expressa em:

a) hPa (hectopascal)
b) polHg (polegadas de mercúrio)
c) mmHg (milímetros de mercúrio)
d) ft (pés)

6. Considerando os valores de uma atmosfera padrão, em qual das altitudes abaixo a pressão atmosférica é menor:

a) 55.000 pés
b) 5.000 pés
c) 15.000 pés
d) 500 pés

7. Com o aumento da temperatura a pressão atmosférica irá:

a) se manter estável até 10.000 pés
b) aumentar
c) a temperatura não tem relação com a pressão
d) diminuir

8. Considerando apenas a umidade do ar, qual das condições abaixo apresenta a menor pressão atmosférica?

a) umidade relativa do ar de 10%
b) umidade relativa do ar de 30%
c) umidade relativa do ar de 60%
d) umidade relativa do ar de 92%

9. As linhas que unem diversos pontos com a mesma pressão atmosférica ao nível mé- dio do mar (QFF) é denominada de:

a) isógonas
b) isógenas
c) isóbaras
d) agônicas

10. Uma área onde a pressão no centro é baixa e a sua volta a pressão é gradativamente maior é chamada de:

a) baixa
b) alta
c) ridge
d) crista

11. Sobre uma área de baixa pressão é correto afirmar:

a) área geralmente associada ao bom tempo
b) pouca ou nenhuma precipitação
c) ventos calmos
d) área geralmente associada ao mau tempo

12. Uma área de baixa pressão também é denominada de:

a) ciclone
b) high
c) crista
d) ridge

13. Numa área de baixa pressão o ar é:

a) convergente e descendente
b) convergente e ascendente
c) divergente e ascendente
d) divergente e descendente

14. Numa área de alta pressão no hemisfério sul, o ar circula no sentido:

a) anti-horário
b) horário
c) de norte para sul
d) de sul para norte

15. Numa área de baixa pressão no hemisfério norte, o ar circula no sentido:

a) anti-horário
b) horário
c) de norte para sul
d) de sul para norte

16. Áreas alongadas de baixa pressão são chamadas de:

a) cavado
b) crista
c) neutra
d) colo

17. Áreas alongadas de alta pressão são chamadas de:

a) cavado
b) crista
c) neutra
d) colo

18. A área localizada entre duas áreas de alta e duas áreas de baixa pressão é chamada de:

a) colo
b) crista
c) cavado
d) ridge

1C 2B 3B 4B 5A 6A 7D 8D 9C 10A 11D 12A 13B 14A 15A 16A 17B 18A

Como MUDA a pressão atmosférica

A pressão atmosférica padrão ao nível do mar é de 1013 hPa, 760 mmHg ou 29.92 polHg, no entanto, essa pressão sofre alteração por diversos fatores. Os principais fatores atrelados à variação da pressão são: altitude e temperatura.

Para que possamos ter uma noção prática de como a pressão atmosférica pode variar em nosso planeta, vejamos alguns dados. Em 1969 a pressão de superfície durante a passagem do furacão Camille chegou a 908 hPa. Num anticiclone de alta intensidade a pressão chega a atingir 1050 hPa. Como regra, áreas de baixa pressão estão associadas ao mau tempo e áreas de alta pressão à estabilidade atmosférica.

– Altitude: com o aumento da altitude ocorre a diminuição da pressão atmosférica. À medida que subimos a densidade do ar diminui e o peso que ele exerce também passa a ser menor.  Se a densidade do ar é menor, o seu peso também será menor, exercendo menos pressão.  Se ocorre o aumento da altitude, a quantidade de ar acima vai reduzindo, pois, uma parcela de ar vai ficando para baixo, logo, teremos um volume menor de ar na atmosfera exercendo pressão.
A redução da pressão atmosférica é maior em altitudes inferiores da troposfera, cerca de 1 polHg a cada 1000 pés de aumento de altitude. Em altitudes mais elevadas a redução da pressão atmosférica passa a ser gradativamente menor. Por exemplo, ao nível do mar a pressão é de 1013hPa (29.92inHg), a 18.000 pés a pressão cai para 504hPa (14.90inHg) e a 35.000 pés despenca para 237hPa (7inHg).

– Temperatura: Com o aumento da temperatura ocorre a diminuição da pressão atmosférica. À medida que a temperatura do ar aumenta, ocorre a diminuição da densidade do ar e consequentemente a diminuição da pressão atmosférica.

– Umidade: quanto maior a umidade menor a densidade do ar, logo, menor será a pressão atmosférica.

– Variação diurna: Ao longo de um dia também ocorre variação na pressão, que apesar de pequena, deve ser levada em consideração durante a identificação de uma mudança significativa nas condições meteorológicas. Em latitudes temperadas a variação diária é de aproximadamente 1 hPa e em latitudes tropicais de 3 hPa ao longo do dia. As máximas pressões ocorrem às 10:00 e às 22:00hs, as mínimas ocorrem às 04:00 e às 16:00hs. Essa variação também é conhecida como “maré barométrica”.

Como MEDIR a pressão atmosférica

Barômetro de mercúrio

A forma mais precisa para se medir a pressão atmosférica é através do barômetro de mercúrio, inventado por Torricelli em 1643. Este barômetro mede a altura da coluna de mercúrio (Hg) dentro de um tubo de vidro, onde uma das extremidades é aberta e exposta à pressão atmosférica que exercerá uma determinada força sobre o mercúrio, causando variação na coluna. Por exemplo, se a pressão atmosférica aumenta, haverá mais pressão sobre mercúrio fazendo com que a coluna se eleve.

Apesar de ser a forma mais precisa de medição da pressão atmosférica, este barômetro não permite uma leitura simples da pressão, além de não ser muito prático para transportar. Por estes motivos, ele é comumente utilizado em estações de observação meteorológica e em laboratórios.

Barômetro aneroide

Apesar de serem um pouco menos precisos do que os barômetros de mercúrio, os barômetros aneroides são mais compactos, fáceis de obter a leitura e de transportar.

O barômetro aneroide é composto por uma câmara de metal com uma mola no seu interior, para evitar o seu esmagamento pela pressão atmosférica, e um mostrador calibrado. Esta câmara se comprime quando a pressão aumenta e se expande quando a pressão diminui, estes movimentos são transmitidos a um ponteiro sobre um mostrador calibrado em unidades de pressão. O altímetro, presente nas aeronaves, nada mais é do que um barômetro aneroide com o mostrador calibrado para exibir altitude.

Unidades de medida da pressão atmosférica

Em meteorologia e na aviação as unidades mais utilizadas são:
– hPa (hectopascal), antigamente utilizava-se o termo “milibar” (mb);
– mmHg (milímetros de mercúrio); e
– polHg (polegadas de mercúrio), também expresso como inHg.

A seguir os valores práticos de cada uma destas unidades:
– 1 hPa = 30 pés
– 1 mmHg = 1,333 hPa = 40 pés
– 1 polHg = 33,86 hPa = 1000pés

No Brasil, nas mensagens meteorológicas (ex.: METAR) e comunicações de tráfego aéreo a pressão atmosférica é sempre expressa em hPa (hectopascal). Em alguns países, como os Estados Unidos, a polHg é adotada como unidade padrão para expressar a pressão atmosférica.

Exemplo de um METAR:

METAR SBKP 071300Z 12008KT 9999 SCT019 BKN080 23/19 Q1016