Conceitos e siglas de meteorologia aeronáutica

A seguir alguns conceitos e siglas que eventualmente são citados durante a análise dos serviços de meteorologia aeronáutica.

– Centro meteorológico de aeródromo (CMA): centro meteorológico designado para prestar apoio meteorológico à navegação aérea nos aeródromos.

– Centro meteorológico de vigilância (CMV): centro meteorológico responsável pela vigilância contínua das condições meteorológicas que possam afetar as operações das aeronaves em voo, dentro de sua área de responsabilidade.

– Centro meteorológico militar (CMM): centro meteorológico, situado em Bases Aéreas ou Unidades de Instrução Aérea, designado para prestar apoio meteorológico específico à Aviação Militar.

– Centro mundial de previsão de área (WAFC): centro meteorológico designado para preparar e fornecer previsões de tempo significativo e previsões do ar superior em forma digital e/ou ilustrada, em escala global, aos Centros Nacionais de Meteorologia.

– Centro nacional de meteorologia aeronáutica (CNMA): centro meteorológico brasileiro, localizado no CINDACTA I, em Brasília, designado a preparar e fornecer previsões de tempo significativo e do ar superior para fins aeronáuticos; manter o Banco OPMET; e manter o portal da REDEMET, de forma a atender à operacionalidade dos Órgãos de Meteorologia Aeronáutica do SISCEAB.

– Estação de radar meteorológico (ERM): estação meteorológica designada para efetuar observações com radar meteorológico.

– Estação meteorológica aeronáutica: estação meteorológica designada para efetuar observações e informes meteorológicos para fins aeronáuticos.

– Estação meteorológica de altitude (EMA): estação meteorológica designada para efetuar observações meteorológicas do ar superior.

– Estação meteorológica de superfície (EMS): estação meteorológica designada para efetuar observações meteorológicas à superfície.

– Estação meteorológica de superfície automática (EMS-A): estação meteorológica designada para efetuar observações meteorológicas à superfície para fins aeronáuticos e climatológicos, sem intervenção humana, utilizando sensoriamento automático, bem como confeccionar mensagens codificadas para divulgação das referidas observações no âmbito do SISCEAB.

– Instituto Nacional de Meteorologia (INMET): representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) e, por delegação desta Organização, é responsável pelo tráfego das mensagens coletadas pela rede de observação meteorológica da América do Sul e os demais centros meteorológicos que compõem o Sistema de Vigilância Meteorológica Mundial.

– Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): dentre outras atividades, desenvolve pesquisas e atividades nos campos das Ciências Meteorológicas, Meteorologia por Satélites, Previsão de Tempo e Climatologia. As atividades operacionais de previsão de tempo e clima são executadas com a operação de um supercomputador que possibilita gerar previsões de tempo e clima confiáveis, com boa antecedência.

– Meteorologia aeronáutica: ramo da meteorologia Aplicada que trata de fenômenos meteorológicos que afetam a navegação aérea e as atividades espaciais.

– Organização Meteorológica Mundial (OMM): é uma agência especializada das Nações Unidas. É a voz autorizada do sistema das Nações Unidas sobre o estado e o comportamento da atmosfera da Terra, sua interação com os oceanos, o clima que ela produz e a distribuição resultante dos recursos hídricos.

– REDEMET: a Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica tem como objetivo integrar os produtos meteorológicos voltados à aviação civil e militar, visando tornar o acesso a estas informações mais rápido, eficiente e seguro. Acesse http://www.redemet.aer.mil.br/ para ter acesso a importante produtos meteorológicos utilizados no planejamento do voo.

– SISCEAB: Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro.

 

As atribuições operacionais são de responsabilidade dos Órgãos Operacionais de Meteorologia Aeronáutica, que se constituem nos Centros Meteorológicos e nas Estações Meteorológicas.

Deixe uma resposta